constelação
ANDRÔMEDA

disponível de
26/05 | 10h

disponível até
01/06 | 21h

 

O olhar penetrante de Jamila. Você já viveu o que eu vivi? Já se sacrificou em prol de uma revolução, de uma revolta armada? Ou já se viu em uma situação em que ou você sacrifica seu trabalho ou sua família?

Ouvimos as correntes sendo quebradas lá em 1929. Dessa vez sem Perseu para salvá-las – as próprias Andrômedas encarando Cetus. Abraçando o “sentimento maior que o amor”, esses filmes encaram os monstros das guerras, da modernidade, da misoginia e do capital sem se entregar para “um herói”. Filmes que não aceitaram seus “funerais sem cadáver”, como Manílio descreve;¹ filmes que buscam cooperação e fortalecimento pelo coletivo, assim como as alcíones e as nereidas estiveram ao lado da princesa.

Andrômeda são “as Marias, Mahins, Marielles, Malês” do hino da Mangueira. É a subversão do conto do opressor, as correntes não precisam de um messias para destravá-las.

______________________________________________________________________________________________

[1] Cf. Manílio. In: FERNANDES, Marcelo Vieira. Astronômicas, Manílio

Tradução, introdução e Notas. 2006. 289 f. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas)

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

USP, São Paulo, 2006. p. 235

 

THE-SILENT-PROTEST_1.jpg

O PROTESTO SILENCIOSO: 1929 JERUSALÉM

:AL-MUTHAHARAH ASSAMITAH: AL-QUDS SANAT 1929

(Palestina, 2019, 20’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios, excepcionalmente de 19 a 21 de Junho

classificação indicativa LIVRE

SINOPSE

No dia 26 de outubro de 1929, aproximadamente 300 mulheres palestinas de todo o país se reuniram em Jerusalém para inaugurar seu movimento feminino. Foi isso que aconteceu naquele dia!

HAVE-YOU-EVER-KILL-A-BEAR_2.jpg

VOCÊ JÁ MATOU UM URSO - OU TORNANDO-SE JAMILA

HAVE YOU EVER KILLED A BEAR - OR BECOMING JAMILA

(Egito, Líbano, 2013/2014, 25’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

Já matou um urso - Ou tornando-se Jamila é um vídeo feito depois de uma performance cujo ponto inicial é um inquérito sobre Jamila Bouhired, a defensora argelina pela liberdade. A pesquisa foca nas diferentes representações de Jamila no cinema, e na assimilação e promoção dela durante os anos 60 e 70 na revista egípcia Al-Hilal [A crescente] que foi um importante periódico na cultura árabe. A performance procura observar a história dos projetos egípcios socialistas, as guerras argelinas anticoloniais e o modo através do qual tais ações promoveram e marginalizaram projetos feministas. De fato, a clara divisão de gênero usada para marginalizar mulheres da esfera pública foi sobrepujada, por um momento, durante a guerra de independência argelina, com Jamila se tornando seu ícone.

Os projetos trazem a questão do que significa exercer o papel de lutadora pela liberdade? O que significa se tornar um ícone? Entre exercer um papel e projetos políticos, como a constituição do sujeito atende-ajuda certos propósitos políticos?

HOLY-DAYS_1.jpg

DIAS SAGRADOS

HOLY DAYS

(Argélia, França, 2019, 40’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa LIVRE

SINOPSE

“Um homem cava sua própria cova e, como que para impedi-lo, os elementos e seres vibram”. Assim é a – bem sóbria – sinopse dada por Nariname Mari. Podemos avaliar que o objetivo é documentar na própria tela nada menos do que  o arco completo das existências: desde o destino da morte até os movimentos do nascimento, entrelaçados uns  aos outros, não seria um estraga-prazeres dizer que o todo é, claramente, unido por luxúria e amor. Com uma magia simples e uma visível fé no poder de um cinema sem recursos, como no trabalho de Giotto, nós todos somos salvos, incluindo os espectadores. (Jean-Pierre Rehm, Fid Marseille 2019)

LETTER-TO-A-FRIEND_1.jpg

CARTA PARA UM AMIGO

LETTER TO A FRIEND

(Palestina, 2019, 43’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro

classificação indicativa 16 ANOS

SINOPSE

Um amigo próximo recebe o pedido para que inicie uma investigação antes que o inevitável ocorra. Interligando imagens, texturas, movimentos, traços e sons de mais de um século, Carta para um amigo reconta em mínimos detalhes uma casa e uma rua em Belém.

A-FEELING-GREATER-THAN-LOVE_4.jpg

UM SENTIMENTO MAIOR QUE O AMOR

SHU’OUR AKBAR MIN EL HOB

(Líbano, 2017, 93’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

Em sua estreia na direção, Mary Jirmanus Saba lida com uma revolução esquecida, salvando do esquecimento as greves reprimidas de forma sangrenta nas fábricas libanesas de cigarros e chocolates. Esses eventos dos anos 70 – que prometiam uma revolução popular e, com isso, a emancipação das mulheres – foram apagados da memória coletiva pelas guerras civis do país. Com um rico acervo de vídeos da tradição de cinema militante do Líbano, o filme reconstrói o espírito da revolta, questionando ao passado como podemos transformar o presente. Ganhador do prêmio dos críticos internacionais FIPRESCI no Fórum do Festival de Berlim em 2017. 

WHEN-THINGS-OCCUR_3.jpg

QUANDO COISAS OCORREM

WHEN THINGS OCCUR

(Palestina, Reino Unido, 2016, 28’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro, das 10h de 28 de maio às 10h de 30 de maio

classificação indicativa 16 ANOS

SINOPSE

Quando coisas ocorrem entrelaça conversas do Skype com fotógrafos mediadores e motoristas situados em Gaza que estavam por trás das imagens que se espalharam, de tela em tela, durante a Guerra de 2014 no território. O filme sonda a face da tristeza e do luto – sua encarnação digital, transmissão e representação.