constelação
CINTURÃO DE ÓRION

disponível de
16/06 | 10h

disponível até
23/06 | 21h

 

Gigante como a estrutura de produção de Portão de Ceuta, Órion detém a grandeza da caça e dos seus objetivos. Seus braços abraçam grande parte do céu, assim como Turismo Doméstico abarca dezenas de produções egípcias e Ela teve um sonho mergulha na saga política de uma jovem tunisiana.

Imensos como a plateia de Oka&Ortega e destemidos como a equipe de filmagem de The Wall. Órion não acredita que tentar chamar a atenção de Roger Waters seja um sonho menor. Órion não se incomoda com o desejo jovem de fazer revolução. Qual o problema de almejar algo grande? Por que os objetivos precisam ser pequenos?

Órion coloca seu corpo à caça. Sabe se proteger à noite. Faz de tudo para provar que é capaz, pois tem sede de vitória. A sede, se vira gula, afunda o movimento político, o tiro sai pela culatra, a esperança se torna engano e desilusão. Se souber usar sua soberba, alcança o que almeja.

Esta sessão traz consigo o foco na cineasta Randa Maroufi. Como se estivesse montando um quadro, a mise-en-scène se dá mediante as linhas que os olhares e os gestos singelos traçam. Essas composições são muito bem elaboradas e, numa sensação de pausa do tempo, acompanhamos encenações que lidam muito diretamente com questões sobre deslocamentos, pertencimentos e exílios. Até onde esses traços e gestos podem ser considerados documentais? Onde termina a performance, e onde começa a objetificação/fetichização imagética?

74_01.jpg

74 (A RECONSTITUIÇÃO DE UMA LUTA)

74 (ISTIAADAT LI NIDAL)

(Líbano, 2012, 100’)

dirigido por

Raed Rafei

*disponível das 10h de 18 de junho às 21h de 20 de junho

classificação indicativa 14 ANOS

SINOPSE

1974: Estudantes protestam contra um aumento no valor da anuidade da Universidade Americana de Beirute. Durante 37 dias, eles ocuparam as salas da universidade. Usando como ponto de partida a revolta de 1974 dos estudantes libaneses, os realizadores Rania e Raed Rafei dirigem um documentário fascinante sobre as questões centrais da revolução e da democracia. Junto a uma reencenação meticulosa, eles incluem improvisações teatrais nas quais os ativistas atuais interpretam os atos dos líderes estudantis de 1974.

domestic-tourism-II_01.jpg

TURISMO DOMÉSTICO II

سياحة داخلية ٢

(Egito, 2009, 62’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa LIVRE

SINOPSE

Utilizando exclusivamente cenas de filmes de longa-metragem egípcios que usam as Pirâmides de Giza como pano de fundo, Turismo doméstico II explora as maneiras nas quais esses icônicos monumentos históricos, e por extensão o Egito, são reapropriados dos cartões postais turísticos “eternos” e reescritos, através da narrativa cinematográfica, em complexas realidades políticas, sociais e urbanas contemporâneas.

she-had-a-dream_01.jpg

ELA TEVE UM SONHO

GHOFRANE ET LES PROMESSES DU PRINTEMPS

(França, 2020, 90’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro

classificação indicativa 12 ANOS

SINOPSE

Ghofrane é uma jovem negra de 25 anos. Como ativista comprometida que diz o que pensa, ela personifica a atual agitação política na Tunísia.  Por ser vítima de discriminação racial, Ghofrane decide entrar para a política. Seguimos a sua jornada extraordinária, que vai desde a atuação de suas ambições até a desilusão. Através das suas tentativas de persuadir tanto seus amigos próximos quanto completos estranhos a votar nela, sua campanha revela as várias facetas de um país buscando forjar uma nova identidade. De maneira única, este documentário traz à luz o lugar das mulheres na mutável sociedade tunisiana.

the-wall_01.jpg

THE WALL

الجدار

(Líbano, 2020, 28’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

Quatro jovens refugiados planejam produzir um filme sobre o Campo Shatila para convencer Roger Waters, cantor principal do Pink Floyd, a visitar seu campo e se apresentar lá. O filme acompanha suas aventuras hilárias, e às vezes perigosas, desvendando as complexas camadas de como é viver como um refugiado palestino no Líbano.

Underground-on-the-surface_01.jpg

UNDERGROUND NA SUPERFÍCIE

ELI BEYHEB RABENA YERFA EIDO LEFO2 (IF YOU LOVE GOD RAISE YOUR HAND)

(Egito, 2013, 70’)

dirigido por

*disponível em todos os territórios

classificação indicativa 12 ANOS

SINOPSE

Mahraganat é um gênero relativamente novo da música eletrônica alternativa egípcia que nasceu por volta de 2007 nos bairros mais populares do Cairo e se espalhou amplamente nos três anos seguintes apesar de ser esnobado e rejeitado pela grande mídia. Entretanto, esse gênero está começando a ganhar uma nova base de fãs entre os jovens da classe média e classe alta, e algumas músicas inclusive chegam a festivais internacionais. Será que o Mahraganat irá superar os obstáculos e será aceito pela mídia tradicional apesar da guerra classista que foi lançada contra o gênero? E a que preço?

FOCO RANDA MAROUFI
A Realidade como Performance

Ceutas-Gate_01.jpg

O PORTÃO DE CEUTA

BAB SEPTA

(Marrocos, França, 2019, 20’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

O portão de Ceuta consiste em uma série de situações reconstruídas baseada nas observações sobre a fronteira de Ceuta, um enclave espanhol situado em solo marroquino, oferecendo um cenário de intenso tráfico de bens manufaturados, vendidos com descontos. Todo dia, milhares de pessoas trabalham ali.

Barbes_01.jpg

BARBÈS

(França, 2019, 6’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

Mulheres << intrusas >> ocupam – o tempo de uma mise-en-scène – o espaço público. Elas assumem os mesmos gestos e as mesmas posturas dos homens nesses lugares. Elas jogam cartas ou assistem a jogos de futebol, sem se importar com a passagem do tempo. Elas ocupam os terraços e se expõem na estranheza de um espaço público de exclusão – o de gênero.  

Stand-by-office_01.jpg

ESCRITÓRIO DE ESPERA

STAND-BY OFFICE

(França, Líbano, 2017, 13’)

dirigido por

*disponível apenas em território brasileiro

classificação indicativa 10 ANOS

SINOPSE

Somos apresentados a um grupo de pessoas dentro de um ambiente corporativo. Todo dia, gestos de trabalho são observados por todo o prédio. Nada parece fora do lugar. Conforme a câmera nos leva regularmente pelas salas, nossa percepção desse lugar singular muda gradualmente. Ficamos nos perguntando: o que esse escritório significa para esse grupo de pessoas?